Transposul comercializa R$ 135 milhões em caminhões e implementos rodoviários

A 15ª Feira e Congresso de Transporte e Logística (Transposul), considerado o maior evento do segmento na região Sul e segundo maior no Brasil, terminou, na última sexta-feira (5) com um balanço positivo – R$ 135 milhões foram comercializados apenas com a venda de caminhões e implementos rodoviários. No total, mais de 13 mil pessoas visitaram o Congresso e participaram das atividades da Transposul.

A programação terminou com o painel “Perspectivas do Brasil nos mercados globais”, com a participação de Hao Da, representante da Shenyang North Traffic Heavy Industry Group, um dos três maiores fabricantes globais de empilhadeiras para portos, armazéns e outros terminais na China. Ele disse que o Brasil é um grande mercado, assim como a China.

O presidente executivo da União Brasileira de Avicultura e ex-presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Francisco Turra, destacou que o país tem potencial para crescer porque é o maior exportador de produtos como carne de frango, além de ser o primeiro produtor e exportador de carne bovina, café e açúcar. Mas salientou que, enquanto a exportação de um contêiner em portos brasileiros custa US$ 2 mil, nos terminais asiáticos custa apenas US$ 500.

Para o diretor nacional de transportes da empresa Kuehne+Nagel, Diego Martau, o país cresce na exportação de commodities porque tem as condições ideais para a produção de alimentos por causa da menor cadeia produtiva e a incidência de impostos em cascata. De 1960 a 2013, destacou, a produção nacional de grãos aumentou de R$ 17 bilhões para R$ 200 bilhões.

O Brasil perde no comércio de produtos industrializados, destacou Martau, em razão dos custos com mão de obra – salários, direitos trabalhistas e benefícios. “A luz está acesa. O Brasil não pode viver só de commodities. Crescemos apenas 0,9% em 2012, enquanto a China, 7,8%. Precisamos, urgente, de uma reforma estrutural que envolva carga fiscal, leis trabalhistas e logística”, ressaltou.

A tendência é investir em exportações para o mercado árabe, onde a estimativa de crescimento é de 10% para os próximos anos. “Não temos muito o que crescer na União Européia, onde a população e a renda estão reduzindo. Estamos buscando os mercados da Indonésia, Malásia e do continente africano”, finalizou Francisco Turra, da União Brasileira de Avicultura.

A Transposul
Na 15ª edição, a Transposul reuniu as novidades tecnológicas dos maiores fabricantes de caminhões, pneus, distribuidores de combustíveis e fornecedores do ramo de implementos do país, além de modernos sistemas, equipamentos e serviços voltados para a logística e multimodalidade.

Com informações da Enfato Multicomunicação

Rosalvo Streit

Agência CNT de Notícias

Comentarios