SETCERGS sugere à ANTT tolerância de 10% no excesso de peso por conjunto de eixo

     

Ocorreu na manhã de quinta-feira, 21, uma reunião conjunta com representantes do SETCERGS, Associação Brasileira de Transportadores Internacionais (ABTI) e da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O evento realizado na sede do SETCERGS tratou sobre o encontro bilateral Argentina e Brasil, que acontecerá nos dias 28 e 29 de novembro, em Foz do Iguaçu, da “Pernada Nacional” e “Peso e Tolerância por Eixos”.
O SETCERGS esteve representado pelo presidente Sérgio Neto, o Vice-Presidente de Logística, Leandro Bortoncello, o Vice-Presidente de Transporte Internacional, Francisco Cardoso, o assessor técnico João Pierotto e o coordenador da Comissão Permanente de Infraestrutura e Concessão, Frank Woodhead.  A ABTI, pela coordenadora de Assuntos Internacionais, Gladys Vinci e o secretário executivo, Guilherme Boger. Já a ANTT pelo chefe de Assessoria Técnica para Transporte Internacional, Noboru Ofugi, o superintendente de Serviços de Transporte Rodoviário e Multimodal de Cargas, Marcelo Prado e o coordenador de Transporte Rodoviário Internacional de Cargas, Marco Antônio Neves,
Aproveitando a presença de representantes da ANTT foi sugerido à tolerância de 10% por conjunto de eixo, nos casos em que não há excesso no Peso Bruto Total (PBT).
O SETCERGS justifica essa proposta ressaltando as tecnologias embarcadas nos caminhões modernos. “Queremos atualização da Legislação, conforme as configurações dos caminhões e os investimentos nas rodovias”, disse João Pierotto. O ex-presidente relatou que atualmente existem mais de 100 configurações de veículos de cargas.
Lembrando que até 31 de dezembro de 2013 a tolerância é de 7,5% por eixo, o presidente Sérgio Neto salientou que atualmente não há alternativa para modificar esse cenário. “Nós somos contra o excesso de peso. Queremos balança nas rodovias para evitar esse problema”, argumentou.
Ao relatar que hoje existem 74 balanças nas rodovias brasileiras atuando na fiscalização, Marcelo Prado informou que o DNIT está fazendo um estudo de readequação da atual Legislação, já que os parâmetros são dos anos 70. “Estamos esperando que essa revisão indique uma nova regulamentação sobre o assunto. Acredito que a tendência é aumentar a tolerância atual, e por isso a proposta do SETCERGS pode ser aceita”, disse o coordenador de Transporte Rodoviário Internacional de Cargas da ANTT.

Marcelo Prado sugeriu organizar um grande encontro na sede do SETCERGS, em fevereiro de 2014, reunindo representantes do Ministério dos Transportes, DNIT, ANTT e das entidades representativas do Transporte e Logística para discutir sobre peso e tolerância por eixo.

Comentarios