Novo viaduto de acesso ao Porto tem trânsito tranquilo após inauguração

Viaduto da Perimetral foi inaugurado no domingo (5) (Foto: Anna Gabriela Ribeiro/G1)
Viaduto da Perimetral foi inaugurado no domingo (5) (Foto: Anna Gabriela Ribeiro/G1)

O novo viaduto da avenida Perimetral em Guarujá, no litoral de São Paulo, que dá acesso ao Porto de Santos, não registrou congestionamentos nesta segunda-feira (6), primeiro dia útil de funcionamento da via. O viaduto, que começou a operar neste domingo (5), possibilita que os caminhões com destino aos terminais portuários evitem o cruzamento com a linha férrea, eliminando assim pelo menos cinco horas de espera diariamente (soma das manobras de trens ao longo do dia).

A princípio, o elevado agradou grande parte dos caminhoneiros que faziam as primeiras viagens no local pela manhã. “Ficou muito bom. Isso aqui no meio da semana era um inferno, ninguém passava. Geralmente, eu passava por aqui por volta das 13h, hoje estou passando às 10h”, afirma o caminhoneiro Valério Coelho Batista. O caminhoneiro Alisson Souza também achou positiva a mudança. “Está bem melhor e o trânsito está fluindo, mas para ficar perfeito tinha que tirar os semáforos da rua do Adubo”, reclama.

Caminhoneiros aprovaram o novo acesso (Foto: Anna Gabriela Ribeiro/G1)

Os semáforos da rua do Adubo ainda impedem a melhor fluidez de veículos que querem acessar o viaduto em direção ao porto, mas a diretora de trânsito de Guarujá, Quetlin Scalioni, explica que os aparelhos serão controlados manualmente para o controle da situação nos momentos de pico. “Esse semáforo é controlado manualmente pelo operador de trânsito. Lá ele consegue dobrar o ciclo do semáforo, se necessário para entrada ou para saída, ou para a própria Santos Dumont. Mas a questão do tempo, nesses primeiros dias, nós vamos estudar os horários de pico do porto e o horários de pico da cidade para atender melhor as necessidades”, afirma.

Apesar da aprovação dos caminhoneiros nos primeiros dias, o presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), Renato Barco, disse no dia da inauguração que a obra não resolverá totalmente a fila de caminhões. “Não é o fim dos congestionamentos. Nós não iríamos esperar que uma obra deste porte, uma obra de acesso ao Porto, fosse simplesmente ter essa solução imediata. Infelizmente, problemas com relação à acessibilidade vem acontecendo e, consequentemente, causando transtorno. O que está se buscando fazer, entregando essas obras, é que essa segregação de tráfego seja consumada cada vez mais e que se consiga dar uma fluidez maior ao tráfego”, explica o presidente da Codesp.

A nova passagem para os veículos pesados também facilita a vida dos moradores de Guarujá, já que com as obras de construção do viaduto, muitos desvios eram direcionados à área urbana da cidade. Para a diretora de trânsito de Guarujá, o viaduto deixa o trânsito fluindo melhor na Santos Dumont, que liga o distrito de Vicente de Carvalho ao Centro. “Antes dos viadutos, esse cruzamento da Santos Dumont com a rua do Adubo, nós tínhamos inúmeros problemas. Principalmente com o desrespeito do caminhoneiro, porque muitas vezes com a passagem do trem o caminhão ficava parado bem no cruzamento. Então, em razão disso, o trânsito fica mais disciplinado aqui no local. Com uma distância mínima da Santos Dumont. Então fica melhor para a cidade e para o caminhoneiro”, afirma Quetlin.

O elevado fará com que as carretas acessem Vicente de Carvalho pela rua do Adubo e entrem na área da Docas passando por cima da linha ferroviária. A via terá mão dupla, com início pela avenida Santos Dumont, onde estão os terminais portuários, e desembocará em uma rotatória que distribui os veículos às instalações marítimas.

Cerca de 10 mil panfletos informativos foram distribuídos aos caminhoneiros e aos moradores na última semana, com o objetivo de auxiliar na locomoção nos primeiros dias do viaduto. “Operadores de trânsito foram contratados especificamente para o período de obras da Perimetral e estão orientando os caminhoneiros. Eles ficam 24 horas no local”, finaliza a diretora de trânsito de Guarujá.

Histórico
Em março, o problema foi na margem esquerda do porto. Caminhões que seguiam para descarregar nos terminais que ficam em Guarujá travaram a Rodovia Cônego Domênico Rangoni. Em abril, o embarque de grãos, principalmente soja, mudou de lado. Os caminhões passaram a vir em maior número para a margem direita, do lado de Santos. Nesse momento, foi a vez da Via Anchieta travar por conta do acesso ao porto. Para tentar pelo menos diminuir o problema, a Codesp, que administra o cais santista, prometeu divulgar as novas medidas ainda esta semana.

Viaduto que dá acesso ao Porto de Santos é inaugurado, mas ainda não resolve trânsito de caminhões (Foto: Divulgação/Codesp)
Fonte: G1

 

Comentarios