Novas regras amenizam o trânsito na rodovia Cônego Domênico Rangoni

A rodovia Cônego Domênico Rangoni, em Guarujá, no litoral de São Paulo, passou a ter novas regras de tráfego desde o último domingo (24). Para dar maior fluidez ao trânsito, é feita uma espécie de triagem antes de os caminhoneiros chegarem à rua do Adubo e, quem chegar ao terminal para descarregar antes do horário marcado, terá que retornar. A medida já amenizou o trânsito que flui normalmente na manhã desta segunda-feira (25).

Os resultados dessas novas medidas já começaram a serem vistos no domingo. Para os caminhoneiros as mudanças só trouxeram benefícios. Com a rua do Adubo livre, a rodovia Cônego Domênico Rangoni voltou a fluir. Desde as primeiras horas deste domingo um bloqueio é feito duzentos metros antes dos caminhões entrarem na rua. O acesso ao porto só é permitido para quem tem um cartão com o nome do terminal onde vai descarregar. Com esta medida, só as carretas que estiverem agendadas vão entrar na rua do Adubo.

Segundo o coordenador de trânsito portuário Adenilson Lima da Silva, quem não tiver agendamento será obrigado a seguir viagem. ”O que vai resolver são as obras da perimetral, são as outras medidas futuras que serão tomadas, mas essa condição faz com que minimize mais a fila aqui na rodovia”, afirma Adenilson.

Com a nova regra, os caminhoneiros são obrigados a parar em um pátio em Cubatão. Depois do descanso eles são chamados pelo terminal e só então recebem o cartão de acesso. As mudanças já ajudaram os carreteiros da região. Na semana passada eles ficavam o dia inteiro para fazer duas viagens entre Santos e Guarujá. Neste domingo, o serviço rendeu. “Agilizou e muito. Na situação que estava não era possível”, reclama o caminhoneiro Emerson José Pires.

Cônego Domênico rangoni em mais um dia de congestionamento (Foto: Fabiana Faria/TV Tribuna)
Como funciona com a nova regra

A faixa da esquerda vai ser destinada aos veículos de passeio, a da direita aos caminhões que carregam contêineres e o acostamento aos que transportam grãos. Outra novidade será a identificação dos caminhões, logo que deixarem os pátios reguladores todos que seguirem a um dos quatro terminais graneleiros, na margem esquerda do porto, devem ter uma placa no painel.

O caminhoneiro que seguir para o terminal TGG terá a cor vermelha, amarela para o TEG/TEAG, branca para a Termag, e verde para o Cutralle. Cerca de 200 metros antes da rua Adubo, de acordo com a sua identificação, o caminhão será direcionado para o terminal de destino. Quem não tiver a placa, significa que não fez o agendamento para o descarregamento e não será liberado para seguir adiante.

Mais de dez mil panfletos com essas informações serão distribuídos aos terminais e às transportadoras que vão alertar os caminhoneiros. A operação tem como objetivo descongestionar a entrada e a saída de todos os terminais e permitir que cada um receba a carga de acordo com a sua capacidade.

Congestionamento na Cônego Domênico Rangoni (Foto: A Tribuna de Santos)
Congestionamento na Cônego Domênico Rangoni (Foto: A Tribuna de Santos)
Fonte: G1

Comentarios