Manutenção do sistema de freios: você realmente se preocupa com isso?

Segundo estatísticas o Brasil figura entre os maiores mercados de caminhões do mundo. Este ano, por exemplo, recebemos em terras tupiniquins a nova fábrica de caminhões Sinotruck, evidenciando a alta no mercado de compra e venda de caminhões no país. Por outro lado o Brasil possui uma frota bastante antiga. De acordo com dados da Confederação Nacional de Transportes (CNT), a média de idade dos caminhões em funcionamento nas rodovias é de 21 anos, sendo que o ideal seria oito. Existem 1.806.849 caminhões registrados no banco de dados da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e 30% deles já possuem mais de 20 anos de uso.

Para alterar essa realidade existem programas de incentivo à renovação da frota como o PróCaminhoneiro e o Renovar. O governo em parceria com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) tem elevado as expectativas quanto à mudança dessa realidade. Do lado dos caminhoneiros, entretanto, a informalidade da profissão de autônomo e os baixos fretes são fatores que impedem o acesso a esses programas e, consequente, à renovação da frota.

A preocupação no dia-a-dia do trabalho nas estradas e das pessoas que estão direta ou indiretamente envolvidas com ele é a falta de manutenção, principalmente em caminhões mais antigos. Em 2007 um grave acidente na BR-282, em Santa Catarina, chocou o país. O duplo acidente ocorreu quando um ônibus, que transportava 40 pessoas, se chocou com duas carretas. Nesse momento, 7 pessoas haviam morrido. Pouco tempo depois uma carreta sem freio atingiu os veículos que estavam parados na rodovia, causando mais 20 mortes.

Dados da Polícia Rodoviária Federal apontam que os acidentes são majoritariamente causados por falhas humanas como falta de atenção, excesso de álcool, drogas e falta de manutenção no veículo (sistema de freios, combustível, pneus, etc). Nós que trabalhamos todos os dias nas estradas, não podemos deixar de verificar sempre os itens que promovem a nossa segurança durante a viagem.

Você dá atenção à manutenção no seu sistema de freios? Confira abaixo algumas dicas que separei para você:

  • Elimine a água do reservatório do freio a ar do caminhão para garantir eficiência na frenagem. A água diminui a vida dos componentes e a eficiência dos freios. É recomendável que, uma vez por semana, o motorista abra a válvula e esgote a água. É preciso ficar ligado, pois o filtro e a válvula secadora dos freios nem sempre garantem que 100% da umidade ou dos resíduos sejam eliminados. Se houver umidade, esta pode se tornar vapor, condensando-se e acumulando-se no reservatório, ocupando o espaço que deveria ser do ar. A quantidade de ar, então, diminui, reduzindo a capacidade de frenagem.
  • Fique atento a vazamentos causadores de queda de pressão na frenagem.
  • Cuidado com alguns costumes: em caminhões de cinco ou seis eixos, por exemplo, é comum os caminhoneiros desativarem os freios de um ou mais eixos. Fazem isso porque quando falta ar em algum deles, entra em ação um sistema de frenagem de emergência que reduz a velocidade do caminhão. Para seguir viagem muitos caminhoneiros desativam o sistema de freios de um ou mais eixos. Engenheiros afirmam que tal atitude pode causar graves acidentes, visto que o sistema de freios foi projetado para trabalhar em conjunto e que sua eficiência pode reduzir em grande escala caso um deles seja desativado. Esta pode ser, inclusive, a causa de muitos caminhões saírem “desgovernados” pelas pistas.
  • Atenção na regulagem: os freios devem estar sempre bem regulados, mas às vezes, na intenção de ajustar o freio, muita gente aperta demais e deixa as sapatas roçando nos tambores.

Se você possui alguma dúvida sobre o sistema de freios do seu caminhão, procure sempre um técnico de confiança ou então busque informações em sites especializados. Rodar bem é rodar consciente!

Abração do Chapa!

Comentarios