Lonas: entenda a importância e escolha o modelo certo para sua carga.

Olá amigos!

Primeiramente peço desculpas por não ter postado a matéria da semana passada. Tive um pequeno problema e não consegui realizar a postagem no dia correto! A publicação desta semana acontece nesta sexta-feira (16), porque ontem foi feriadão e eu também sou filho de Deus. Espero que gostem do assunto que escolhi para vocês!

Para toda carga, existe uma lona! Não é um ditado, mas bem poderia ser, já que é imprescindível revestir com lona quase todos os tipos de carga. É necessário também que os caminhoneiros conheçam esse material e escolham o que se adapta melhor à carga transportada. Apesar da importância desse item de segurança, nem sempre os caminhoneiros se preocupam com ele. Uma notícia divulgada pelo Portal Terra em 29 de julho deste ano mostrou um flagrante de um caminhão que transportava pedras sem a cobertura adequada na Avenida Nove de Julho, em São Paulo.

Segundo o artigo 231 do Código de Trânsito Brasileiro (C TB), é proibido transitar com o veículo “derramando, lançando ou arrastando sobre a via: a) carga que esteja transportando; b) combustível ou lubrificante que esteja utilizando; c) qualquer objeto que possa acarretar risco de acidente”. Ou seja, lançar nas vias de tráfego a carga configura infração gravíssima que tem como penalidade a aplicação de multa de R$ 191,54 e sete pontos na carteira.  Além disso, a medida administrativa consiste na retenção do veículo para regularização do mesmo.

Existem diversos tipos de lonas, de variados tamanhos e materiais. As mais comuns são feitas de plástico, vinil ou algodão encerado. O ideal para quem transporta areia, por exemplo, é utilizar uma lona plástica ou de algodão encerado, mas que seja revestida com proteção à água. É importante também que a lona seja do tamanho adequado à carreta. Se ela não cobrir toda a carga, esta pode escapar e cair nas vias de tráfego, causando acidentes e prejuízos para o motorista.

É importante também que o caminhoneiro cheque a qualidade das bainhas da lona e dos ilhoses. O ilhós deve ser fabricado em aço inoxidável e ter a resistência (tração) adequada para as finalidades de uso da lona. Recomenda-se que as cordas utilizadas para a amarração sejam compradas de acordo com o material da lona e a resistência da mesma, para não haver discordâncias no conjunto do produto.

Alguns cuidados com as lonas também permitem que elas durem mais e conservam sua resistência, evitando rasgos e surpresas desagradáveis no meio da viagem. Não force a lona em quinas e cantos do caminhão e não use ganchos ou ferramentas para puxar os ilhoses. Faça o mesmo tipo de amarração em toda a lona, isso ajuda na distribuição da tração e melhora na proteção da carga. Evite deixar a lona solta na parte traseira e nunca a coloque em contato direto com cargas como açúcar, farinha ou soja. Verifique também se a lona comprada tem resistência à temperatura. Alguns materiais são mais resistentes ao calor e oferecem maior proteção à carga.

Os caminhões sider exigem lonas térmicas, resistentes à àgua, à umidade e que não perfurem com facilidade. Por isso, é preciso checar as diferenças entre os materiais utilizados nas lonas para o caminhão carreta e para o caminhão sider. Muita atenção também nos grampos e nos sistemas de amarração desse tipo de lona.

Se você pretende trocar ou se desfazer de alguma lona usada, rasgada ou velha, saiba que existem cooperativas e empresas no Brasil que trabalham na confecção de roupas, bonés e acessórios a partir da reciclagem deste material. Por isso, antes de descartar a lona velha em qualquer lugar, procure por pontos de coleta. Respeitar a natureza e o meio ambiente é respeitar a si mesmo!

Gostou das dicas? Agora é só amarrar bem a lona, proteger a carga e pé na estrada!

Não se esqueça de registrar seus comentários, sugestões ou críticas aqui no Blog do Chapa. Esse espaço é de vocês!

Até a próxima!

Abraço do Chapa.

Comentarios