Fluxo de veículos nas estradas cresce 2,2% em setembro ante agosto, diz ABCR

O fluxo de veículos nas estradas pedagiadas do País avançou em setembro 2,2% sobre agosto, descontados os efeitos sazonais. É o que mostra o Índice que calcula as passagens de veículos pelas praças de pedágios nas estradas, calculado pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) em parceria com a Tendências Consultoria Integrada.

O ABCR é um indicador antecedente e, ao mesmo tempo, coincidente da produção industrial além de um termômetro de renda das famílias. É dividido entre fluxo de veículos leves e pesados.

Na passagem de agosto para setembro, os registros dos leves que passaram pelas praças de pedágios cresceram 3,3% na comparação do o volume registrado em agosto. Na mesma base de comparação a circulação dos pesados avançou 0,7%. Nos dois casos, os dados estão livres dos efeitos sazonais.

“Isso representa o terceiro registro positivo nessa métrica trimestral”, considera a diretora da Tendências, Alessandra Ribeiro. De acordo com a economista, a melhora do ambiente macroeconômico em curso deve sustentar a trajetória de ganhos do índice total ao longo do último semestre.

Sobre o fluxo de veículos leves, Alessandra observa que “com o resultado, o indicador fechou o terceiro trimestre com alta de 0,8%, intensificando a elevação do trimestre de 0,1%, ainda na série dessazonalizada. Trata-se do quarto crescimento consecutivo nessa base de comparação, o que evidencia a trajetória de gradual recuperação do indicador ao longo de 2017”.

Ela ainda diz que “a melhora da situação financeira das famílias deve sustentar a trajetória positiva do indicador no último trimestre do ano: o quadro inflacionário benigno que favorece o aumento do poder de compra dos consumidores, a redução do nível de endividamento das pessoas físicas e a recente ampliação das vagas de trabalho, são fatores que contribuem para sustentar o processo em curso de aumento do consumo das famílias, alimentando a trajetória de crescimento do fluxo de veículos leves no restante do ano”.

Na análise sobre o fluxo de veículos pesados, a economista ressalta se tratar do terceiro resultado positivo na métrica trimestral dessazonalizada, evidenciando a trajetória de moderada reação em curso no ano, e a sequência positiva do fluxo de pesados reflete o aumento da produção industrial no ano.

Alessandra salienta ainda que nesse sentido, o quadro prospectivo benigno para a atividade industrial – como sugere a normalização do nível de estoques, o crescimento do emprego industrial e o aumento da demanda doméstica – contribui para que o fluxo de pesados continue em trajetória de moderada elevação no último trimestre do ano.

Na comparação de setembro deste ano sobre o mesmo do ano passado, o fluxo total de veículos pelas estradas pedagiadas cresceu 6,4%, com a movimentação dos leves tendo crescido 7,2% e a dos pesados, 4,3%. Na comparação do acumulado deste ano até setembro sobre o mesmo período do ano passado, o Índice ABCR relata um crescimento de 1,4% no fluxo total, expansão de 1,9% na circulação dos leves e estabilidade dos pesados.

Já no acumulado dos últimos 12 meses encerrados em setembro último, o fluxo total ficou praticamente estável na comparação com os 12 meses encerrados em setembro do ano passado, com uma ligeira queda de 0,1%. Nesta mesma base de comparação, o movimento dos leves avançou 0,7% e a dos pesados recuou 1,8%.

Fonte: Isto é Dinheiro

Comentarios