Evasão de pedágio é prática comum no Sistema Anchieta-Imigrantes

Caminhões são os principais ‘furões’ no SAI, que registrou 2.500 ocorrências apenas em fevereiro.

 Colado atrás de veículos de passeio com sistema de cobrança eletrônica no pedágio da Ecovias, antes que a cancela se fechasse, um motorista de caminhão passou 53 vezes sem pagar apenas este ano.

Na lista dos maiores ‘furões’ nas sete praças de pedágio do Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI), o condutor é o campeão: ele não se intimida com o monitoramento de câmeras. O levantamento da Ecovias, concessionária que administra o SAI, foi realizado a pedido de A Tribuna.

Embora não tenha hora para ocorrer, esse tipo de prática é mais comum à noite. E apesar do caso do caminhoneiro recordista, a concessionária diz que ações de fiscalização, em parceria com a Polícia Militar Rodoviária, vêm contribuindo para a redução de infrações.

No primeiro trimestre deste ano, em comparação com o mesmo período de 2014, a concessionária registrou a diminuição de 37,91% nos casos de evasão de pedágio. Por pertencer a uma companhia de capital aberto, com ação na Bolsa de Valores, a Ecovias não detalhou os números absolutos de furões.
O Ministério Público do Estado de São Paulo, que vem acompanhando o caso, confirma a queda. O promotor de Justiça de São Bernardo do Campo, Édivon Teixeira Júnior, informou que 2.500 ocorrências foram registradas em fevereiro nas sete praças, ante 7.500 no mesmo mês do ano passado.

Cerco eficiente

A redução dos números no trimestre é resultado de uma estratégia. Nos pedágios das rodovias Anchieta (km 31) e Imigrantes (Km 32), ambos no sentido Litoral, a concessionária criou um sistema que, ao detectar a fuga, envia automaticamente a imagem do veículo infrator para o tablet ou computador de um funcionário da Ecovias.
Ele fica posicionado alguns quilômetros à frente, no km 40 da Anchieta – onde também há uma base da Polícia Rodoviária.

Com a imagem em mãos, os policiais têm condições de parar o infrator e aplicar a multa, segundo o coordenador de tráfego e do centro de controle operacional da Ecovias, Raul Boff.

Nesse momento, o motorista é obrigado também a efetuar o pagamento da tarifa do pedágio. Esse trabalho funciona 24 horas. Nos demais pedágios, agentes da polícia costumam se posicionar próximo às cabines automáticas para fazer as multas no momento da evasão.

MP e polícias realizam operação

O Ministério Público do Estado de São Paulo, em conjunto com a Polícia Civil e a Polícia Militar Rodoviária, realizou em janeiro uma operação em duas praças de pedágio do Sistema Anchieta-Imigrantes visando coibir a ação de motoristas de caminhões que burlavam o pedágio.

A fiscalização foi resultado de uma representação criminal recebida pela Promotoria de São Bernardo do Campo em novembro de 2014, informando que motoristas de caminhão combinam entre si a evasão dos pedágios por meio de uma faixa exclusiva de rádio, batizada de Rádio Cidadão.

Placas adulteradas

A operação ocorreu no pedágio do km 31 da Rodovia Anchieta (Riacho Grande) e km 32 da Rodovia dos Imigrantes (Piratininga), e resultou na autuação de cinco motoristas de caminhão.
Segundo o promotor Édivon Teixeira Júnior, um deles estava com placa adulterada e teve o veículo apreendido, além de ter sido autuado por fraude e por estelionato.
Os demais tiveram autuações administrativas, pois não tinham a placa adulterada, mas estavam todos acima da velocidade permitida, e eram caminhões de 8 ou 10 eixos.
FONTE: A Tribuna 

Comentarios