Diretora Executiva Nacional do Sest Senat revela os desafios no período de pandemia

Durante a Live foram debatidos os impactos da Covid-19 no setor e a expectativa para os próximos meses. (Foto: Divulgação)

Diretora Executiva Nacional do Sest Senat revela os desafios no período de pandemia

Nicole Goulart participou de nova live realizada pelo Chico da Boleia

Na tarde desta quinta-feira (13), o Chico da Boleia conversou com a diretora executiva nacional do Sest Senat, Nicole Goulart, durante mais uma live realizada pela plataforma multimídia.

Referência para o setor de transporte, a entidade tem ajudado os trabalhadores, principalmente neste período de pandemia, seja mantendo suas portas abertas ou oferecendo assistência médica para seus colaboradores e público em geral.

Neste bate-papo, o objetivo foi discutir os desafios do Sest Senat durante a crise provocada pela Covid-19 e também quais ações estão sendo realizadas para dar suporte ao setor de Transporte Rodoviário de Cargas (TRC).

– O Sest Senat está sempre à disposição para contribuir com pautas que tragam informações, conteúdo para nosso público-alvo, que são os trabalhadores do transporte, seus dependentes e toda a comunidade do setor transportador. E, ao assumir a diretoria do Sest Senat em 2015, junto com a equipe da entidade, nos empenhamos para trazer os empresários e os trabalhadores para participar das nossas ações, para se desenvolverem, para que tenham mais qualidade de vida – conta Nicole.

Questionada sobre os diferentes segmentos atendidos, dentro do transporte (rodoviário, aquaviário, passageiros, etc), pela instituição, Goulart destaca que é um desafio adequar o portfólio e demonstrar a todos os envolvidos a gama de serviços, cursos e atendimentos oferecidos por este braço do Sistema S.

– Hoje temos 155 unidades espalhadas pelo país, grande parte está nas áreas de maior fluxo, nos grandes trechos, e aí aliamos estes interesses de acordo com a demanda, adaptando as linguagens e incrementando nossos serviços – conta a diretora.

Pandemia

O ano de 2020 trouxe muitas incertezas e dificuldades para o setor, principalmente devido a pandemia provocada pela Covid-19. Durante a conversa, Chico da Boleia questionou a diretora executiva nacional do Sest Senat sobre os impactos da crise na saúde, nas unidades da instituição.

– Nós tivemos que antecipar muita coisa e muitas unidades tiveram que se reinventar. Nós tínhamos um planejamento traçado em 2019 para a oferta de alguns serviços online, como fisioterapia, psicologia e nutrição, e a gente já vinha trabalhando nossos sistemas, adquirindo ferramentas. E quando a pandemia surgiu, as unidades tiveram que mudar essa forma de atendimento. A demanda continuou a mesma e não houve perda na qualidade, pontualidade, nem dos profissionais contratados – destaca Nicole.

Com relação a parte educacional, devido a faixa etária de uma parcela do público, foi necessário primeiro realizar uma inclusão digital para que esses trabalhadores (que ainda não estão inseridos no universo digital) pudessem acessar os conteúdos.

Autônomos, CLT e outros modais

Nicole explica que, ao falar sobre os profissionais atendidos pelo Sest Senat, é preciso avaliar que, nem sempre o autônomo busca os serviços e atendimentos oferecidos pelas unidades. “Há pesquisas que revelam que esse trabalhador tende a se cuidar menos. Por ele ter seu próprio caminhão, ele sabe que se ele não produzir, não recebe. Com isso, não costuma procurar a entidade”.

– Com a pandemia e as atuações das unidades nas rodovias, conseguimos atingir mais de 300 mil pessoas, mostrando o que é o Sest Senat, como funciona e que está aqui para ajudá-los. Ainda distribuímos kits de higiene e de alimentação para os profissionais que ficaram desassistidos durante o lockdown – destaca Goulart.

Para a diretora, é importante destacar que esse tempo que o trabalhador dedica para se especializar e cuidar da saúde não é perdido. Pelo contrário, serve apenas para melhorar o desempenho desses profissionais.

Simulador

– Quando assumi a diretoria, o projeto do simulador já estava ativo e, o que percebemos, é que a iniciativa só traz benefícios reais para os profissionais que realizam o treino. Conseguimos ainda unir a simulação da carga e do passageiro em um equipamento só – conta Goulart.

A diretora ressaltar a importância do equipamento ao aliar teoria e prática e que os resultados são positivos, sendo percebidos pelo empresariado.

Covid-19 e vacina da gripe

– Aplicamos quase 40 mil testes em trabalhadores do setor de transporte e também em nossas equipes e colaboradores. Mas, no momento, não temos previsão de aquisição de novos testes – revela Nicole.

Com relação a vacinação da gripe, a diretora conta que existe uma pauta com os responsáveis da área (Ministério da Saúde) para incluir os trabalhadores do transporte de carga no calendário fixo de imunização.

Comentarios