Dia do Trabalho: por melhores condições para exercê-lo.

Olá amigos da estrada!

Estive algum tempo sem escrever para o Blog do Chapa, mas agora estou de volta. E nenhuma data seria tão propícia para reinaugurar o Blog quanto a de hoje. Espero que todos gostem da matéria.

Hoje comemoramos o Dia do Trabalho. Símbolo de uma luta por melhores condições de trabalho, o 1o de maio é celebrado mundialmente. No Brasil, o feriado foi instituído pelo Presidente Arthur Bernardes, em 1925. Nesta data, inúmeros eventos são promovidos pelos poderes públicos para comemorar o dia do trabalhado. Cultura, educação, saúde, esporte e entretenimento estão sempre presentes nas agendas das prefeituras e dos governos de estado nas celebrações que são preparadas para os trabalhadores.

No entanto, hoje é, principalmente, dia de luta. Luta que acontece nas ruas, em protestos por melhores condições de trabalho na maioria dos setores, através das greves legítimas de vários como a dos caminhoneiros, professores, operários. Hoje é dia de refletirmos sobre a nossa cidadania trabalhista e exigi-la.

Trabalhadores durante protesto no dia 1 de maio. Foto: CUT

No nosso setor, por exemplo, evoluímos, mas ainda caminhamos a passos lentos. No último mês de abril, um forte embate evidenciou as discussões entre organismos defensores da Lei 12.619 e a Comissão Especial que atua na Câmara dos Deputados em Brasília para alterar a Lei do Motorista. Após esta dura conquista dos caminhoneiros, alguns políticos ligados aos interesses de produtores rurais buscam retroceder na cidadania trabalhista do setor alcançada através Lei.

É fato que ainda existem muitos pontos a serem aplicados e que a fiscalização e infraestrutura das rodovias devem melhorar. No entanto, tentar alterar pontos da Lei como o tempo de descanso, o limite de tempo de direção e a parada obrigatória é voltar ao tempo em que os caminhoneiros eram forçados a trabalharem horas a fio sem nenhum descanso. Como em qualquer outra profissão, a nossa necessita dessa regulamentação e os profissionais podem se apoiar na Lei para exigirem seus direitos.

A Lei 12.619 não é só um aparato jurídico trabalhista, é também uma forma de salvar vidas e salvaguardar a saúde dos trabalhadores. Ora, se na maioria das profissões as pessoas tem seus direitos garantidos, suas jornadas de trabalho controladas, horas extras pagas com possíveis adicionais de insalubridade e periculosidade, porque o caminhoneiro, aquele que se arrisca de dia e de noite por rodovias em péssimas condições de manutenção e segurança, também não pode estar respaldado pela regulamentação de sua profissão?

Publicidade:



Neste dia 1o de maio, Dia Mundial do Trabalho, espero que os amigos caminhoneiros e caminhoneiras possam refletir sobre a profissão e pensar no quanto podemos colaborar para que ela evolua, para que seja mais respeitada e valorizada. A Comissão que atua na Câmara dos Deputados só atenderá as nossas demandas quando nós nos fizermos presentes. Por isso, procure uma entidade representativa de boas referências e currículo confiável, participe das reuniões e apresente as suas opiniões. Dessa forma, poderemos construir juntos uma profissão ainda mais admirável.

Lembro ainda que no próximo dia 14 de maio será realizado o “2o Encontro com Chico da Boleia” para debate sobre a Lei 12.619, na Concessionária Irmãos Davoli, em Jaú. O evento reunirá especialistas para debater a lei junto aos mais interessados: os caminhoneiros. Fique ligado!

Para saber mais sobre a Lei, acesse:

http://www.cnt.org.br/Imagens%20CNT/PDFs%20CNT/Not%C3%ADcias/Cartilha_Regulamenta%C3%A7%C3%A3o_Motorista.pdf

Abraço,

Chapa.

Gostou do texto de hoje? Então, nos envie sua opinião sobre o assunto ou alguma sugestão para a próxima semana através do email: chicodaboleia@chicodaboleia.com.br

 

Comentarios