Conheça os 5 trechos rodoviários mais perigosos do Brasil

Mais de 8,6 mil pessoas perderam a vida em acidentes de trânsito nas rodovias federais brasileiras em 2011. Foram quase 7,2 mil ocorrências com morte nos mais de 63 mil quilômetros de estradas em poder da União. É um acidente fatal para cada 8,8 quilômetros de vias.

Os números, no entanto, não revelam uma face mais cruel de boa parte desses desastres: algumas rodovias são bem mais perigosas que outras. E dentro delas, alguns trechos tiram bem mais vidas.

Não se trata, portanto, de dizer apenas que a BR-101 ou a BR-116, que cortam o país de norte a sul, são ruins ou boas, mas de localizar exatamente onde mais vidas estão sendo ceifadas, em atropelamento ou colisões, normalmente em áreas de grande movimento de veículos e pedestres.

A partir de dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de 2011, conseguimos definir os cinco trechos mais mortais do Brasil, todos com 10 quilômetros de extensão.

1º – BR-116 – Ceará

Trecho: km 0 ao 10
Total de acidentes: 701
Acidentes com morte: 28
Acidentes com morte/km: 1 para cada 0,35km

Com mais de 4,5 mil quilômetros do Ceará ao Rio Grande do Sul, a BR-116 tem vários trechos perigosos para os motoristas. Dos 20 do Brasil, seis estão dentro dela, distribuídos em quatro estados.

É no começo, no entanto, que as mortes se concentram, logo na saída de Fortaleza e antes mesmo da chegada ao anel viário. Foram 28 acidentes fatais neste trecho no ano passado, um a cada 357 metros, ou 25 vezes mais que a média nacional.

2º BR-316 – Pará


Trecho: km 0 a 10
Total de acidentes: 2069
Acidentes com mortes: 26
Acidentes com morte/km: 1 para cada 0,38km

As famílias que saem ou chegam a Belém pela BR-316, a principal via de acesso à cidade, devem tomar muito cuidado. Não só porque é o segundo trecho mais mortal do Brasil, com 26 mortes, número próximo a campeã. É que lá ocorrem muito mais acidentes, com um saldo total três vezes maior de feridos.

Sendo assim, a chance de se envolver em uma ocorrência de pequena a média gravidade é muito maior nesta aqui. Por causa do alto número de tragédias no trecho urbano, a Justiça Federal determinou em julho deste ano que o DNIT construa passarelas na movimentada região. A maior parte dos casos são atropelamentos.

3º BR-153 – Goiás


Trecho: km 500 a 510
Total de acidentes: 549
Acidentes com mortes: 23
Acidentes com morte/km: 1 para cada 0,43km

Entre Goiânia e Aparecida de Goiânia, ainda dentro da área metropolitana da capital do estado, está o terceiro trecho mais mortal do Brasil e o único de Goiás a figurar entre os 20 mais perigosos.

A média é de um acidente com morte a cada 430 metros, 20 vezes a média nacional (8,8 quilômetros).

4º BR-101 – Espírito Santo


Trecho: km 260 a 270
Total de acidentes: 1290
Acidentes com mortes: 18
Acidentes com morte/km: 1 para cada 0,55 km

A BR-101, uma das mais extensas do Brasil junto com a BR-116, indo do Rio Grande do Norte até sua contraparte do Sul, concentra seis dos 20 trechos mais perigosos do Brasil.

O mais mortal fica no Espírito Santo, entre as estaduais ES-264 e ES-010, que leva a Laranjeiras, onde ocorreram 18 acidentes com morte em 2011.

5º BR-116 – São Paulo


Trecho: km 220 a 230
Total de acidentes: 949
Acidentes com mortes: 18
Acidentes com morte/km: 1 para cada 0,55km

Os 4 trechos mais mortais do Brasil até aqui eram de responsabilidade do governo. Esta não. Concedida a iniciativa privada em 1996, uma das rodovias mais importantes e movimentadas do país, entre Rio de Janeiro e São Paulo, a Via Dutra aparece não só em 5º lugar – entre os quilômetros 220 e 230 – mas também em 6º lugar, por causa do trecho imediatamente anterior, entre os quilômetros 210 e 220.

Assim, em 20 quilômetros no Estado de São Paulo, foram 34 acidentes com mortes em 2011.

Fonte: transporta brasil

Comentarios