Chico da Boleia entrevista Pedro lopes na comemoração aos 25 anos da FETRANSESC

Áudio: [jwplayer config=”so_player” mediaid=”4873″]

Chico da Boleia: Bem, companheiro da estrada, vamos conversar com o homenageado do dia: o presidente da FETRANSESC – de Santa Catarina – que recebe a justa homenagem da casa das leis do estado, em comemoração aos vinte e cinco anos da federação. Pedro, como você se sente com essa homenagem das casas das leis?

 Pedro Lopes: Fortalecido. O relacionamento que nós temos tido com essa casa, com os deputados que por aqui passaram e hoje estão no Congresso Nacional a relação continua sendo a mesma, para aqueles que chegaram nessa casa, uma relação de aproximação muito forte de diálogo de entendimento, de compreensão, no momento que criamos a frente parlamentar de transporte, e não só aquele que no primeiro momento a integraram, eram dezesseis, e quatro vieram colocando à disposição a sua participação na frente e nunca fugiram e em nenhum momento do debate dos assuntos que interferem no assunto do Transporte Rodoviário de Carga de Santa Catarina. E a federação no momento que comemora os seus vinte e cinco anos, ela se sente a mais honrada pelo reconhecimento da casa, mais que é uma homenagem que não a pessoa ninguém é uma referência aos que a fundaram, aqueles que a trouxeram até aqui, e as diretorias, aos sindicatos, aos transportadores, a todos que, enfim, estão envolvidos no setor de transporte de cargas do estado de Santa Catarina.

 Chico da Boleia: Bom, nesses vinte e cinco anos, salve algum engano de memória, que não tem um ano tão impactante para o setor como este. Tivemos a vinda do Euro-5, tivemos o fim da carta frete a questão da lei do motorista. Como a Federação está se colocando, e o que ela vê para os próximos vinte e cinco anos?

 Pedro Lopes: Bom! O que nós sentimos em relação ao que você falou, a partir do Euro-5, e praticamente tudo veio no mesmo ano, porque em seguida começou a discussão da lei 12.619 que acabou sendo criada vindo do PL271 e do 3019, o cartão frete o fim da carta frete, o  conhecimento eletrônico de frete  a nota fiscal eletrônica o registro, praticamente tudo veio dentro do mesmo exercício, veio um pacotaço. Então, é essa assimilação que precisamos fazer desenvolver tudo aquilo que está aí, por que eles foram acompanhados e não foram coisas atiradas aleatoriamente ao seguimento de transporte no Brasil. Nós tivemos um debate muito amplo, principalmente no que tenha a lei 12.619 pelo Brasil inteiro. E agora com as leis já postas, nós temos que através de nossas entidades, federações, associações, sindicatos, cooperativa de transporte, todos nós assimilarmos o que está aí e colocar em prática, por que debatido da forma que foi implantado o sistema se ajusta e tem que se preparar em função daquilo que esperamos, ou seja, o PIb dobrado deis de 2003 e estarmos preparos para fazer o acompanhamento desse crescimento.

Chico da Boleia: Bem amigos, essa é a primeira etapa das comemorações do vinte e cinco anos da FETRANSCESC. Chico da Boleia, orgulho de ser caminhoneiro.

Comentarios