Banco Mercedes atinge R$ 10 bilhões em carteira de financiamentos em nove meses

Banco Mercedes-Benz atingiu R$ 10 bilhões em valor de carteira no acumulado janeiro a setembro, 7,5% acima do apurado em igual período do ano passado, quando a instituição anotou R$ 9,3 bilhões, informa em comunicado divulgado na sexta-feira, 11. Deste total, R$ 2,7 bilhões foram para financiamento de veículoscomerciais da marca, como caminhões, ônibus e vans, valor 8% do observado há um ano, de R$ 2,5 bilhões.

O segmento representa o principal ramo de atuação da instituição com escala de ascendente. Em setembro, houve crescimento de 33% no volume de novos negócios de veículos comerciais, R$ 350 milhões contra os R$ 264 milhões em igual mês de 2012. Em unidades, a alta é de 45%, para 1.769 unidades, sendo 1.007 caminhões (+21%), 529 ônibus (+124%) e 233 vans (+55%). O resultado está alinhado com as projeções da instituição para o segundo semestre, baseadas na retomada gradual dos investimentos em infraestrutura no País.

“Uma atuação forte e focada nas necessidades dos clientes garantiu o resultado conquistado. O banco não mediu esforços no sentido de proporcionar agilidade na liberação e contratação de crédito para todos os nossos clientes”, relata Angel Martinez, diretor comercial do Banco Mercedes-Benz.

Já em automóveis, ainda sob o efeito desfavorável pela alta do IPI para importados, o segmento apresentou retração de 14% em novos financiamentos no acumulado de nove meses, para R$ 89 milhões contra os R$ 104 milhões registrados há um ano. Apesar do resultado negativo em valores, em unidades houve incremento de 6,8%, para 1.287 veículos.

“O impacto nos resultados de automóveis, embora representados por uma curva descendente, já era esperado, com base na análise que realizamos sobre o cenário do segmento. Com isso, o banco tem planejado, em parceria com a fábrica, implementar ações para oferecer condições vantajosas de financiamento. Dentro disso, é possível vislumbrar uma inversão do cenário até o fim do ano”, projeta Martinez.

Fonte: automotivebusiness.com

Comentarios