Associação pede pelo fim do sobrepeso de veículos

1907-Estradas

Prejuízos mecânicos e falta de ética no trabalho são apenas dois aspectos negativos do excesso de carga. Esta é uma prática ilegal e, infelizmente, muito comum nas estradas do Brasil, segundo a Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística. O sobrepeso de veículos tem impacto direto no preço do frete, de acordo com o presidente da NTC&Logística, Flávio Benatti. “Transportar mais do que o veículo suporta é uma prática que lesa toda a sociedade e gera uma concorrência desleal no setor.”

Benatti explica ainda que o transportador que se submete a carregar mais carga do que o permitido em seu veículo aceita valores menores pela operação, já que está com grande volume de carga no caminhão, geralmente o suficiente para pagar os custos da operação. Isso faz com que profissionais que trabalham dentro da legalidade não consigam ter acesso a esse tipo de carga, devido aos preços baixos, que não cobririam seus custos. “Esse é um problema crônico brasileiro”, comenta.

Para o especialista em transporte, muitos profissionais do setor acreditam ter algum tipo de vantagem com a sobrecarga. E esse, de fato, é o problema central da questão, e que leva transportadores à prática do sobrepeso. Benatti esclarece que, a princípio, parece interessante para o transportador realizar uma operação com o caminhão carregado além do seu limite máximo de capacidade. O valor dessa operação pode ser interessante. No entanto, quando calculados os custos da prática é levadas em consideração as péssimas consequências para o trânsito em geral, torna-se nítida a improbidade do excesso de peso para o transporte rodoviário de carga.

Fonte: blogiveco

Comentarios