Assinatura do leilão da telefonia vai garantir sinal 4G em 36 mil quilômetros de rodovias brasileiras

Os trechos das BRs que receberão o 4G foram escolhidos a partir de um cruzamento de dados de disponibilidade de sinal nas estradas com o apontamento de usuários feitos na pesquisa Fala Cidadão, do MInfra. (Foto: reprodução/MInfra)

Assinatura do leilão da telefonia vai garantir sinal 4G em 36 mil quilômetros de rodovias brasileiras

Empresa vencedora vai investir R$ 3,5 bilhões em tecnologia para atender as cidades brasileiras e 625 localidades

Uma demanda antiga dos usuários de rodovias federais começou a ser atendida nesta terça-feira (7). O Governo Federal, por meio do Ministério das Comunicações, assinou os contratos com as 10 empresas vencedoras das faixas do leilão do 5G, ocorrido no mês passado, para exploração do uso de radiofrequências.

Com a assinatura dos termos, a empresa Winity II pode dar início à aplicação dos R$ 3,5 bilhões de investimentos em tecnologia 4G, que estão previstos para serem usados em 36 mil quilômetros de rodovias federais e em 625 localidades. Devem ser priorizadas as BR-163, BR-364, BR-242, BR-135, BR-101 e BR-116.

Pesquisa

Os trechos das BRs que receberão o 4G foram escolhidos a partir de um cruzamento de dados de disponibilidade de sinal nas estradas com o apontamento de usuários feitos na pesquisa Fala Cidadão, do MInfra.

Além de sinal de internet, também haverá ampliação do sinal de telefonia celular, mais uma carência de infraestrutura de telecomunicações apontada por usuários da infraestrutura de transportes rodoviários. Alguns aeroportos também serão beneficiados com a implantação da rede de internet.

Inovação

Em abril, entrou em vigor o Programa de Modernização de Rodovias Federais, o inov@BR, que tem como objetivo modernizar as principais rodovias federais com foco em segurança viária, fluidez e tecnologia.

Com o programa, será possível promover mais segurança e eficiência logística pelos investimentos realizados em novas sinalizações, em monitoramento das vias, na conectividade, na implantação do free flow, além de aprimorar a pesagem veicular e a integração do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Fonte: Assessoria Especial de Comunicação – Ministério da Infraestrutura

Comentarios