Adolescentes de projeto social expõem mostra fotográfica no Avenida Center

g_117ae94a096117ba0e0541d46643301d

Fotografias da Maria, do Simão, do Antônio e de outros trabalhadores, registradas pelos olhares e cliques fotográficos dos adolescentes do Programa Florescer, compõem a exposição “Janelas de Vidro”. Depois de participarem de uma oficina de fotografia e conhecerem o trabalho do fotógrafo Sebastião Salgado, os jovens tiveram a oportunidade de instigar os olhares sobre o próximo e transformarem as próprias percepções em imagens. A visitação à mostra fotográfica é gratuita e estará disponível até o dia 23 de janeiro, em Maringá (PR) no shopping Avenida Center, próximo à escada rolante que dá acesso a loja Havan (Av. São Paulo, 743).

A professora e jornalista Mariana Kateivas conta que chegava no projeto social e os adolescentes, de 9 a 14 anos, começavam com as inúmeras perguntas sobre a aula que seria dois dias depois. Ansiosamente, perguntavam quando iriam fotografar, se poderiam usar a câmera dela ou contavam que tiraram uma foto interessante com o celular deles. Depois de dois meses, a garotada pôde mostrar o que aprendeu com um trabalho autoral. De olho no mundo pelas lentes da câmera, abriram as “janelas” para uma nova forma de ver o ambiente em que vivem e, agora, expõem o resultado para a comunidade.

De acordo com a coordenadora pedagógica do Programa Florescer, da franquia de Maringá, Fátima Cristina, a iniciativa foi importante para conhecimento sobre arte, proporcionar diferentes vivências e para apresentar-lhes uma profissão, de modo vocacional. Gabrielly Correa Teodoro, 11 anos, é uma das alunas que já faz planos e pensa em uma formação na área. “Eu aprendo aqui e no futuro, quem sabe, eu posso me formar como fotógrafa ou me especializar”, disse.

Ao lado de cada imagem exposta, os visitantes podem conferir quem é o adolescente que fez a fotografia, com o nome, idade e foto da criança. “É importante que o adolescente se enxergue junto do trabalho que ele fez e as pessoas possam conhecer um pouquinho de quem estava por trás das câmeras. Além disso, é uma forma de valorizar o próprio indivíduo, tanto o que fotografa como o que é fotografado. O trabalho faz com que o jovem receba reconhecimento sobre aquilo que aprendeu. Os olhares são únicos e foi impressionante descobrir cada um deles”, explica Mariana.

Os interessados podem visitar a exposição de segunda a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos, das 14h às 22h.

Via: Blog do Caminhoneiro

Comentarios