19ª Fenatran – Luciano Burti lança simulador móvel para motoristas

A solução oferecida pela empesa do piloto e comentarista, Luciano Burti, auxiliará frotistas e transportadores a qualificar profissionais do volante com eficiência e praticidade.

Confira a entrevista:

 

 

A empresa leva sua proposta de qualificação profissional à maior feira de produtos e serviços destinados aos transportadores de cargas e operadores logísticos.

A Navig, empresa de cursos e treinamentos para condutores de frotas que chegou ao mercado este mês, esteve na 19ª Fenatran – Salão Internacional do Transporte, que aconteceu entre 28 de outubro e 01 de novembro, no Pavilhão de Exposições do Anhembi.  Liderada pelo piloto de Stock Car, Luciano Burti, a NAVIG fornece qualificação e aprimoramento para motoristas de caminhão, ônibus e automóvel de frotas  por meio de simuladores dotados com a mais alta tecnologia. O equipamento constrói um cenário com componentes dos veículos, para aumentar a sensação de realismo dentro do ambiente virtual. Importado do Canadá da Virage Simulator, os simuladores possuem a aprovação da Universidade de Quebec, que foi a responsável pelas pesquisas que comprovaram os resultados no atendimento às empresas subsidiadas pelo governo canadense, visando maior segurança para a sociedade e preservação do meio ambiente.

A grande novidade no sistema, além da tecnologia, é que os simuladores estão instalados em Unidades Móveis de Treinamento, assim, a NAVIG leva os equipamentos até o cliente, o que facilita o trabalho com a equipe e evita a perda de tempo e custos com o deslocamento dos funcionários. Os cursos oferecidos são: economia de combustível, direção defensiva, prevenção de tombamento, manobra de carretas, avaliação de motoristas e conscientização sobre o  consumo de álcool e drogas. De acordo com Burti, ter um profissional bem treinado gera economia e mais credibilidade para a empresa. “O volume crescente do mercado, com margens cada vez menores para as empresas, torna imprescindível o treinamento dos condutores. Assim essa qualificação trata-se de um “ganha-ganha”: melhorando os resultados da empresa, agregando valor para carreira do profissional e como consequência beneficiando a sociedade.”, afirma o empresário.

A NAVIG chega para atender um mercado carente de mão de obra qualificada. A oferta de vagas para motoristas de caminhão é grande, enquanto a procura é insuficiente para suprir a demanda. O chamado apagão de mão de obra, já atinge as grandes empresas, o que mostra a pesquisa da Associação Nacional do Transporte de Carga e Logística (NTC & Logística), 13% da frota das empresas já estão sendo impactadas por falta de motoristas – esse porcentual equivale a 100 mil profissionais. Com isso, muitas empresas já venderam seus veículos e até fecharam as portas.

Como se não bastasse a questão da mão de obra escassa, o alto custo do transporte rodoviário, como combustível, manutenção, pneus e pedágios, tem inviabilizado muitos negócios. Por isso, as soluções em treinamento oferecidas pela NAVIG, podem proporcionar uma economia de 10 % consumo de combustível. Assim, o valor do treinamento é compensado nos primeiros  5 mil km rodados do motorista, além de reduzir o custo da manutenção (freios, câmbio e pneus) e com uma propensão menor de se envolverem em acidentes. De acordo com as estatísticas da Seguradora Líder DPVAT, apenas no primeiro semestre foram pagas 11.971 indenizações do Seguro DPVAT em acidentes de trânsito envolvendo caminhões, sendo  9.904 foram por morte.

A Associação Brasileira de Medicina deTráfego (Abramet), afirma que 93% dos acidentes são gerados pelo fator humano.

Sobre a NAVIG

A NAVIG nasceu da necessidade de Luciano Burti levar seu conhecimento técnico do automobilismo para tornar o trânsito mais eficiente e mais seguro para todos. Após sofrer um grave acidente no Grande Prêmio de Fórmula 1 na Bélgica, em 2001, quando perdeu o controle do veículo e batendo contra a barreira de pneus a 270 Km/H, Burti começou a ter mais atenção nos equipamentos de segurança no trânsito, desde a manutenção e condições de veículo,  qualidade das estradas, até a postura do condutor no volante. Depois de anos de pesquisa, ele chegou a conclusão que faltava transferir de forma correta os benefícios do uso de simuladores, utilizados em treinamentos de pilotos de avião, Fórmula 1 e outros segmentos, para os motoristas de carros, ônibus e caminhões.

Comentarios