Equipes da Fórmula Truck concluem testes preparatórios em Interlagos

Atividade preparatória teve 11 pilotos na pista. Três deles ainda trabalham para definir participação na temporada de 2013

O autódromo paulista de Interlagos viveu dois dias de movimentação intensa entre segunda (18) e terça-feira (19), com os testes preparatórios que levaram à pista vários pilotos dos campeonatos Brasileiro e Sul-Americano de Fórmula Truck. As equipes priorizaram o trabalho de ajuste dos equipamentos para a primeira corrida do ano, marcada para 10 de março na pista gaúcha de Tarumã. Os pilotos aproveitaram para buscar ambientação.

Foi o caso do paranaense Diogo Pachenki, que estreia na F-Truck em 2013 pela ABF Racing Team. “Enfrentei alguns problemas mecânicos. Quebrou o turbo no primeiro dia, hoje arrebentou uma correia do motor”, contou. “Foram meus primeiros treinos como piloto da categoria, eu considero o trabalho bem produtivo. Acho que tive uma evolução constante, a preocupação foi conhecer o caminhão, o entrosamento com a equipe, essas coisas de primeira vez”.

O paulista Paulo Salustiano, seu companheiro de equipe, testou com o outro Mercedes-Benz. “Foi a primeira vez que andei com o caminhão campeão, que mudou bastante em relação ao do ano passado, com o novo regulamento. Mudaram os amortecedores, e a potência diminuiu”, explicou. “Fui rápido, mas o treino serviu mesmo para a gente fazer o ajuste dessas mudanças. Eu saio daqui bem animado com o resultado do trabalho todo”, manifestou.

A Scuderia Iveco também esteve na pista com seus dois caminhões. “A gente fez muitos testes, alguns válidos, outros menos. Precisamos evoluir até a etapa em Tarumã”, disse o pernambucano Beto Monteiro. Seu companheiro de equipe, o paulista Valmir Benavides, destacou a variedade de simulações. “Nós testamos um monte de situações, com muitas inovações. As mudanças feitas na adaptação ao regulamento de 2013 deram muito certo”, avaliou.

Pela 72 Sports/Ford Racing Trucks, Djalma Fogaça comandou os testes com o caminhão Ford. “Houve alguns problemas, mas viramos bem. Testamos um novo diferencial que não deu muito certo”, detalhou. A equipe também foi à pista com Fábio Fogaça, filho de Djalma, e com Danilo Dirani, que defendeu a equipe por três anos. “Não vou correr neste ano, mas a experiência com o Ford me permitiu dar uma referência maior na parte mecânica”, relatou.

Prestes a iniciar sua primeira temporada completa na categoria, depois de disputar duas corridas com um caminhão Scania, Alberto Cattucci teve nos testes a primeira oportunidade de pilotar o caminhão da ABF/Volvo, sua nova equipe. “Serviu principalmente para eu sentir o Volvo, escolher o acerto das molas dianteiras e traseiras, pegar bem a manha para encher a turbina. O que posso dizer é que estou bem animado”, declarou.

NOVOS NOMES
Os testes em Interlagos tiveram participação de pilotos não confirmados na temporada de 2013. Caso do goiano Rogério Castro, que testou o caminhão da ABF/Volvo e revelou estar próximo de definir participação no campeonato. “Devo ter boas notícias ainda nesta semana. Hoje eu diria que minha chance de estrear neste ano na Fórmula Truck é de 95%”, supôs o piloto, que teve sua participação nos testes desta terça-feira marcada por um acidente.

Castro havia percorrido cerca de dez voltas quando o estouro da turbina de um caminhão que ia poucos metros à sua frente deixou óleo na pista, ao fim da reta dos boxes. “Nem cheguei a ver o óleo. Não consegui frear, o caminhão passou direto no S do Senna. Bati na proteção de pneus”, descreveu. “Foi uma judiação. Eu vinha guiando limpo, seguro, sentindo o caminhão, acelerando um pouco mais a cada volta. Uma pena”, acrescentou.

Outro que experimentou o caminhão da ABF/Volvo foi Thiago Riberi. O paulista completou 15 voltas no primeiro dia de testes. “Senti-me confortável no treino, não me senti perdido nenhuma vez, consegui passar boas informações à equipe”, resumiu. Foi o segundo contato do piloto com a Fórmula Truck. “Eu já tinha feito um teste em Cascavel, depois da etapa de lá no ano passado, com um Ford da equipe do Djalma Fogaça”, lembrou.

Publicidade:

Consorcio DAF

Riberi também trabalha para estar no grid a partir da etapa de Tarumã. “O problema é que eu ainda não tenho todo o orçamento fechado. Penso até que se começasse a correr para dar um start, teria uma condição mais tangível, mais palpável, de negociar com patrocinadores. Meu plano é de estrear já em 2013, mas pela questão de orçamento eu devo considerar que ainda esteja um pouco ‘verde’ a minha chegada à Fórmula Truck”, falou.

O também paulista João Ometto Neto, que participou das três últimas corridas da temporada passada com um Iveco, também foi à pista durante os testes desta terça-feira em São Paulo. Ele treinou com o Mercedes-Benz da ABF Desenvolvimento Team, com que o gaúcho Régis Boessio atuou em 2012. “Encontrei alguma dificuldade, porque todo o cockpit estava ajustado ao Régis, que é bem mais alto que eu. Mesmo assim, gostei muito”, avalizou.

Ometto também vive a expectativa de poder confirmar nos próximos dias sua participação em toda a temporada de 2013. “Eu só dependo da posição de um patrocinador para fechar a temporada. Gostei muito desse caminhão, que é bem equilibrado, tem uma ótima e ampla faixa de torque, esse é um motor bem gostoso”, descreveu. “Se o patrocinador pelo qual estou esperando me der um sim, ligo na hora e fecho o campeonato completo”, condicionou.

PIANO E MELO AUSENTES
Dois pilotos que tinham participação confirmada nos testes da Fórmula Truck em Interlagos acabaram não participando das atividades. Um deles é o paulista Edu Piano, que estreia em 2013 pela Território Motorsport, com Ford. “Não conseguimos concluir a montagem do caminhão a tempo”, justificou o piloto, que acompanhou o trabalho das demais equipes em Interlagos. “Vamos tentar fazer um teste em Londrina antes do campeonato começar”.

Outro que não treinou em Interlagos foi o paranaense Jaime Melo. Ele foi acometido por um mal súbito no domingo (17), quando já estava em Foz do Iguaçu à espera do embarque para São Paulo. “Foi intoxicação alimentar, algo que eu comi no jantar e não me fez bem. Passei a noite no hospital em Foz e já voltei para casa, estou sob uma medicação forte”, contou o piloto, que mora em Cascavel. “Com isso, não pude participar dos treinos”, lamentou.

Fonte: F-truck

Foto: Elzi de Matos

Comentarios